quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

SOUSA OU SOUZA? TERESA OU TEREZA? LUÍS OU LUIZ? ISABEL OU IZABEL? TOMÁS OU TOMAZ? BALTASAR OU BALTAZAR? QUEIRÓS OU QUEIROZ? ELISEU OU ELIZEU? MANUEL OU MANOEL? HELOÍSA OU ELOÍSA? LUÍSA OU LUÍZA?

Os nomes próprios devem se sujeitar às regras gramaticais ou não? Os nomes em questão são escritos com "s" ou "z"? Com "u" ou "o"?

São dúvidas frequentes, as quais, muitas vezes, afetam pessoas de várias classes sociais, doutas ou não. O que dizem as gramáticas sobre os nomes próprios em questão?

O correto é usar o "s" e não o "z": Sousa, Luís, Luísa, Inês, Valdês, Eliseu, Teresa, Isabel, Tomás, Baltasar, Queirós. Em Heloísa, além do "s", temos o "h". O correto é escrever Manuel e não Manoel.

Atente para o uso do acento, que somente deve existir nos casos sujeitos às regras gramaticais pertinentes à acentuação gráfica. É o caso, por exemplo, de "Queirós", que tem acento por ser uma oxítona terminada em "o" (seguido ou não de "s").

Em "Luís", por exemplo, o motivo do acento difere de "Luiz", que não deve ser acentuado porque não se acentuam os oxítonos terminados em "z".

E como ficam os casos dos nomes próprios já registrados (já registrados e não os novos registros)? Fica a critério de cada um, seja em relação à ortografia, seja em relação à acentuação. Assim, embora deva existir acento em "Zanílton" (paroxítona terminado em "n"), há casos em que o registro foi feito sem o acento, um erro gramatical, mas permitido.

A reforma ortográfica, em sua Base XXI, abordou o tema. Diz o texto na íntegra:


"Para ressalva de direitos, cada qual poderá manter a escrita que, por costume ou registro legal, adote na assinatura do seu nome. Com o mesmo fim, pode manter-se a grafia original de quaisquer firmas comerciais, nomes de sociedades, marcas e títulos que estejam inscritos em registro público".

Vale observar que muitos erros gramaticais nos nomes próprios de pessoas se devem em razão da falta de conhecimento dos servidores dos cartórios, que deveriam instruir os pais acerca do bom uso gramatical. Em outros casos, ainda que o servidor perceba o erro, são os pais que insistem em manter o nome com o referido erro, muitas vezes para conservar a tradição do sobrenome familiar.

Alheios à boa ordem gramatical, muitos afirmam que, em se tratando de nome próprio de pessoa, é lícito ferir as regras pertinentes ao caso. Não é bem assim. O que se admite, como bem destaca a Base XXI do Acordo, é a conservação de um nome para ressalva de direitos.

Assim, se você é registrado como "Andréia", embora hoje o acento constitua um erro, você não precisa alterar o registro (retirando o acento), mas, por outro lado, não pode afirmar que o acento se enquadra aos casos sujeitos à acentuação gráfica.

Conclui-se, portanto, que os cartórios de registro civil devem ficar atentos às novas regras, e, sempre que possível, convencer os pais no sentido de submeterem os nomes de seus filhos à nova realidade, ainda que em relação aos sobrenomes seja mais difícil, por razões ligadas à tradição ou até mesmo para evitar problemas burocráticos, como é o caso, por exemplo,  dos pais e irmãos serem registrados com "Souza" e o caçula ser registrado com "Sousa".
.

27 comentários:

  1. No finalzinho: "regras(,) e, sempre que possível, convencer".

    Gostaria de saber se está correta a vírgula antes do "e". Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No meu entender, sim. Vale lembrar que a pontuação está associada ao "fôlego" que o escritor pretende dar ao texto. O emprego da vírgula antes e depois de "e" é gramaticalmente correto, seja concomitante ou não. Consultando a Novíssima Gramática da Língua Portuguesa, de Domingos Paschoal Cegalla, encontramos uma frase* em que o autor se utiliza da vírgula em situação análoga: "Seguindo-se a atual tendência, é preferível usar o artigo, e, portanto, a crase, diante dos possessivos que não se referem a nomes de parentescos".

      _____
      A frase em questão se refere ao emprego da crase antes de pronomes possessivos.

      Excluir
    2. Infelizmente só vi tua pergunta agora, 4 anos depois. Mas respondo mesmo assim.
      A vírgula depois do E está errada. Nunca se usa uma vírgula antes do E quando ele SEPARA ORAÇÕES COM O MESMO SUJEITO.
      O sujeito de "...devem ficar atentos às novas regras..." e "...convencer os pais..." é o mesmo "os cartórios de registro civil". A vírgula, portanto, é inadequada.

      Excluir
  2. Caro Robério, parabéns pelo site!

    Salvo engano, o governo prorrogou para até o final de 2015 o período de transição da deforma ortográfica (com D mesmo!). Portanto, não é correto dizer que, do ponto de vista da norma ortográfica, o acento de Andréia hoje constitui erro, já que ambas as normas são atualmente aceitas.

    É interessante lembrar também dos casos de nomes estrangeiros onde, por exemplo, Bottene não tem acento embora seja proparoxítona, pois é um sobrenome italiano. Outros inúmeros exemplos poderiam ser citados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Correto. O acento em "Andréia" atualmente é facultativo, exceto nos nomes já registrados, os quais devem observar o próprio registro.

      Os nomes estrangeiros, por sua vez, devem ser no Brasil escritos conforme o vernáculo, embora transgrida regras gramaticais de acentuação.

      Obrigado pela intervenção.

      Excluir
    2. Isso mesmo, Robério. Alguns acentos são facultativos ( lembrando que, para a confecção de documentos oficiais, o padrão a ser seguido é como está no documento de identificação) Quanto aos nomes estrangeiros, você está se referindo aos que são escritos em outro alfabeto ( Grego, Árabe, etc.)? Nesse caso, é realizada uma transliteração.

      Excluir
  3. Everythіng is very opеn with a rеally
    clеаr clarification of the isѕues. ӏt waѕ truly informаtive.

    Your site is useful. Many thanks for sharing!

    Feel free to visit mу weblog: payday loans

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Muito obrigado pelos esclarecimentos.
    Mas gostaria de entender o porquê de Manuel estar correto e não Manoel.
    E Luiza, mesmo estando errado por causa do "z", teria acento ou não?
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela iniciativa. Você merece muito sucesso. Valdeclides.

    ResponderExcluir
  6. Obrigado pelos esclarecimentos deste blog. Entretanto, permita-me uma ressalva: há nomes que não se prestam a se submeter às regras do vernáculo por causa da forma de pronunciar que se mantém. Por exemplo, Carmen, por ser oxítona, teria de ser acentuado (Cármen), mas por aqui muita gente escreve Carmem, saindo a emenda pior que o soneto, pois não corresponde à pronúncia do nome; afinal, ninguém pronuncia colocando a sílaba tônica no 'mem', tampouco finaliza pronunciando a consoante bilabial. Na minha opinião os nomes próprios deveriam permanecer em sua grafia original, salvo nos casos de alfabetos diferentes do nosso.

    ResponderExcluir
  7. quero colocar o nome do meu filho de Thomás, está correto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpa o atraso na resposta. Entendo que não fica errado, pois há certa discricionariedade na hora de optar pelos nomes próprios. No entanto, não convém ferir algumas regras. Exemplos: Junho, em vez de Júnior. Fabricio (sem acento), em vez de Fabrício (com acento). O Acordo recomenda o uso correto da língua portuguesa em tais situações.

      Excluir
  8. Souza se escreve com "s" senão ficaria zonza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Souza é com Z porque já tem S na palavra e tem 3 vogais, e alem disso fica feio Sousa com S.

      Excluir
  9. entao isso quer dizer que isabel seria errado? o certo seria izabel?

    ResponderExcluir
  10. Posso colocar o nome do filho de Luiz? Luís fica muito feio.
    Marcos - sp

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode, sim. Na escolha dos nomes próprios há certa flexibilidade. Certamente nem o cartório nem o Juiz irão colocar dificuldades.

      Excluir
  11. No caso do nome Francisâmia,qual a pronúncia correta?
    Muitos pronunciam como Francizamia e outros como Francissamia...
    Qual seria o certo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que seja a composição de dois nomes próprios, resultado de uma antiga tradição de muitos pais que pretendiam homenagear a si próprios por ocasião do registro de alguns filhos. Há um fundo histórico bem interessante! No caso aqui, eu optaria por FRANCIZÂMIA. Nos dicionário, todos os encontros CISA são pronunciados com Z. Exemplos: cisalha, cisalpino, cisandino. Entretanto, por se tratar de nome próprio de pessoa, há flexibilidade, uma vez que o que vale mesmo é a intenção, levando-se em conta sempre o neologismo em decorrência da homenagem. Digamos que FRANCISÂMIA seja a junção de FRANCISCO + SÂMIA. Nada mais conveniente do que pronunciar com som de SS, dada a homenagem em questão.

      Excluir
  12. E, afinal, o certo é Terezinha ou Teresinha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Celia, por se tratar de um diminutivo de Teresa, opto por "Teresinha".

      Excluir
  13. Certa vez perguntei ao meu professor se Sousa deveria ser escrito com s ou com z, ele me respondeu que deveria OBVIAMENTE ser escrito com s, pois se fosse escrito com z seria Zousa e não Sousa. :-/

    ResponderExcluir
  14. Qual está correto Azevedo ou Asevedo ?

    ResponderExcluir
  15. Qual está correto Azevedo ou Asevedo ?

    ResponderExcluir
  16. Nesse caso pode-se dizer que o correto seria Heloísa e não Eloísa?

    ResponderExcluir